Cidade está com surto de Cinomose, alerta Coordenadoria Animal

  • 0
  • 207 views
Coordenadoria alerta aos donos dos pets para a vacinação 
A Coordenadoria do Bem Estar Animal de Cordeirópolis fez um alerta nas páginas sociais referente a surto que está ocorrendo na cidade, trata-se da doença que pode ser fatal aos pets, a Cinomose.
O alerta é para que os proprietários dos pets deixem em dia a vacinação e não deixem os animais soltos às ruas, pois há grande risco de contaminação.
De acordo com a Coordenadoria, a cinomose é uma doença grave e muito comum que pode ser facilmente evitada com a vacinação. As Vacinas V8 e V10 protegem o cão contra seis doenças: Cinomose, parvovirose, coronavirose, adenovirose, parainfluenza e hepatite infecciosa canina. Além disso, a V8 protege contra dois tipos de leptospirose, e a V10 contra quatro.
Quando filhotes, a aplicação das vacinas, orientadas na consulta do médico veterinário, a vacina (V8 ou V10) devem ocorrer a partir dos 42 dias de idade e é composta por três doses espaçadas de 21 dias cada. Cães adultos devem ser vacinados anualmente.
Os preços variam entre R$ 90 e R$ 120, cada dose, é de responsabilidade do tutor do animal e o reforço anual é essencial. A coordenadoria ficará responsável apenas pela vacinação dos que estão sob suas tutelas.
Lembrando que a Cinomose é uma doença que acomete apenas os cães. Ela é causada por um vírus muito comum no Brasil e pode ocorrer em cães de qualquer idade.
No início da infecção, pode ser observado o aparecimento de febre acompanhada de vômito e diarreia. Depois disso, surgem os sinais respiratórios como tosse e dificuldade de respirar, além de conjuntivite. Após esse período, o vírus atinge o sistema nervoso central, podendo causar sinais neurológicos como convulsões e mioclonias (contrações involuntárias).
Transmissão e Tratamento 
A transmissão normalmente ocorre através do contato direto com outros cães infectados que estão eliminando o vírus nas secreções como saliva, secreção ocular e nasal, na urina e nas fezes. O tratamento se restringe em tratar as doenças associados à Cinomose, como pneumonia, infecções oportunistas, vômitos e diarreias além do controle da dor e das convulsões.
Infelizmente não existe tratamento curativo e conta apenas com a imunidade do animal e do tratamento de suporte para enfrentar a doença.
Se o animal responder bem ao tratamento, poderá  estabilizar a sua saúde, se diagnosticado a tempo, ficando ou não com algumas sequelas (como convulsão, tiques nervosos, manchas nos dentes etc.).
Evitar que o animal tenha contato com animais de origem desconhecida também ajuda, principalmente se for filhote e não terminou de tomar todas as doses programadas.
Pessoas que tiveram um animal com cinomose em casa não devem ter outro cão por um longo tempo, até que se faça a desinfecção. Além disso, devem lavar todo o local com água sanitária, para ajudar a diminuir a quantidade de vírus existente. Pratinhos, paninhos e caminhas não deve ser usados por outros cães.
Os filhotes raramente conseguem se recuperar, pois o sistema imunológico do animalzinho ainda é muito frágil, sendo alta a taxa de mortalidade de cães nessa fase. Se a doença atacar o cachorro na fase adulta e idosos as chances de sobreviver também são mínimas.
Loja Barbosa (3)
contato tintas
Paróquia Nossa Senhora Assunção apresenta Brasão
Prev Post Paróquia Nossa Senhora Assunção apresenta Brasão
Comunidade Santo Antonio celebra missa de despedida de padre Sérgio
Next Post Comunidade Santo Antonio celebra missa de despedida de padre Sérgio
Veja mais

Leave a Comment:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Link para o WhatsApp